14 de dez de 2011






O menino olhava a avó escrevendo uma carta. A certa altura, perguntou:
- Você está escrevendo uma história que aconteceu conosco?
E por acaso, é uma história sobre mim?
A avó parou a carta, sorriu, e comentou com o neto:
- Estou escrevendo sobre você, é verdade.
Entretanto, mais importante do que as palavras, é o lápis que estou usando. Gostaria que você fosse como ele, quando crescesse.
O menino olhou para o lápis, intrigado, e não viu nada de especial.
- Mas ele é igual a todos os lápis que vi em minha vida!
-Tudo depende do modo como você olha as coisas.
Há cinco qualidades nele que, se você conseguir mantê-las, será sempre uma pessoa em paz com o mundo:
"Primeira qualidade:
Você pode fazer grandes coisas, mas não deve esquecer nunca que existe uma Mão que guia seus passos. Esta mão nós chamamos de Deus, e Ele deve sempre conduzi-lo em direção à Sua vontade".
"Segunda qualidade:
De vez em quando eu preciso parar o que estou escrevendo, e usar o apontador. Isso faz com que o lápis sofra um pouco, mas no final, ele está mais afiado. Portanto, saiba suportar algumas dores, porque elas o farão ser uma pessoa melhor."
"Terceira qualidade:
O lápis sempre permite que usemos uma borracha para apagar aquilo que estava errado. Entenda que corrigir uma coisa que fizemos não é, necessariamente algo mau, mas algo importante para nos manter no caminho da justiça".
"Quarta qualidade:
O que realmente importa no lápis não é a madeira ou sua forma exterior, mas o grafite que está dentro. Portanto, sempre cuide daquilo que acontece dentro de você."
"Finalmente, a quinta qualidade do lápis: ele sempre deixa uma marca. Da mesma maneira, saiba que tudo que você fizer na vida, irá deixar traços, e procure ser consciente de cada ação".


  

1 de dez de 2011

SINCRETISMO RELIGIOSO




SINCRETISMO RELIGIOSO

   O termo sincretismo etimologicamente significa “combinar”, do grego synketizou. Historicamente, remete-nos a união dos cretenses numa espécie de república das cidades, somando forças para enfrentar o inimigo comum. Com isso, o termo sincretismo passou para a história das religiões também para o estudo antropológico, indicando uma combinação de ritos, procedentes de tradições não homogêneas, até atingir um conjunto de formas religiosas comuns.
   O Brasil é considerado um dos países mais religiosos do mundo. Na sua gênese esta religiosidade brasileira sofreu influência de várias matrizes culturais (negro, branco e do índio) e religiosas, haja vista que o catolicismo oficial introduzido pelos portugueses e jesuítas durante a colonização no Brasil conviveu,também, o catolicismo popular e com o candomblé e a umbanda, trazidas pelos negros vindos da África; com o protestantismo e etc.
   Sincretismo, portanto, é a fusão de religiões, ritos, crenças e personagens culturais.
   Há três tipos de sincretismo:
1.     SINCRETISMO GUERREIRO – exprime as ânsias, as lutas e as histórias dos portugueses e navegantes durante a colonização.
2.     SINCRETISMO PATRIARCAL – se instala com a criação e desenvolvimento dos engenhos de açúcar, fazendas de cacau etc.
3.     SINCRETISMO POPULAR – representa a interpretação dada pelos índios africanos à religião da classe dominante. Ex: o culto afro.
   Percebe-se que uma grande parte da população brasileira confessa a fé católica, mas pratica um cristianismo popular  mais chegado ao animismo nativo e ao feitichismo, trazido pelo negro escravo, do que na doutrina católica ministrada pelo colonizador. Ex.: os orixás (400ª600) africanos herdaram o nome dos santos do catolicismo.
   Segundo o escritor Champlin, o sincretismo pode ser classificado em:
·        SINCRETISMO ARTIFICIAL – quando emerge de uma mente preguiçosa, que não desejando investigar em profundidade, se contenta em ajuntar as ideias já existentes nas diversas expressões de fé religiosa, formando uma espécie de salada de crenças.
·        SINCRETISMO PROFUNDO – ocorre quando o discernimento de vários sistemas que contém fragmentos da verdade podem nos levar a obter um quadro melhor da própria verdade.

VOCABULÁRIO:

ANIMISMO – a alma anima todos os seres vivos.
TOTEMISMO – poder espirituais dado aos animais, vegetais e pessoas.
ORIXÁS – divindades intermediárias entre deus e os homens.
No Brasil há 17 orixás e na África entre 400 e 600.



REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
CUMINO, Alexandre. Deus, deuses e divindades: Os vários nomes, formas e arquétipos de Deus, deuses e deusas. São Paulo: Madras, 2004, 152p.
KÜNG, Hans. Religiões do mundo: Em busca dos pontos comuns. Tradução de Carlos Almeida Pereira. Campinas, SP: Vérus, 2004,283p.